Igualdade de Género = Igualdade de oportunidades

“A igualdade de homens e mulheres só acontecerá, de facto, quando os homens e as mulheres a quiserem nas suas vidas.” 

Com esta formação, não se pretende que mulheres e homens se tornem um padrão, antes que se diferenciem naquilo que são as suas identidades e formas de ser e estar.

 

Há quem queira provar que o assunto está ultrapassado e decadente.
Há quem vá por curiosidade.
Há quem não tenha mais que fazer e já agora sempre aumenta o currículo.
Muitos homens têm dificuldade em lidar com o tema ou porque não aceitam ser culpabilizados ou porque se sentem inseguros com o que consideram ser a ‘invasão’ das mulheres por territórios que eram reserva sua ou porque temem o fim da masculinidade, da sua primazia e das suas certezas.
Muitas mulheres têm dificuldade em lidar com o tema ou porque consideram que ele afecta a sua auto-estima e lhes reduz poder e competitividade, ou porque têm receio de perder consideração social no apoio a uma ‘causa’ quase sempre diabolizada e associada a mulheres feias, mal amadas, sem filhos, homofóbicas e envolvidas em frustrações.

 

No final da formação os formandos deverão ser capazes de:

1)Aprender a olhar e ver a desigualdade e a discriminação entre homens e mulheres nas várias esferas da organização social
2)Entender as razões da desigualdade de género;
3) Usar o direito da igualdade de género como um instrumento para o equilíbrio de poder entre mulheres e homens na organização social;
4)Encorajar a utilização de uma linguagem que respeite a igual visibilidade e igual dignidade de homens e mulheres

 

Objectivos Específicos:

  •  Caracterizar a realidade actual quanto à igualdade de género;
  • Distinguir as diversas formas de discriminação;
  • Carcaterizar a posição da mulher no mercado de trabalho;
  • Distinguir os vários mecanismos de desigualdade;
  • Caracterizar o regime jurídico aplicável;
  • Determinar as situações de ilegalidade e os mecanismos legais de actuação e protecção;
  • Distinguir os diferentes mecanismos activos de protecção da igualdade;
  • Simular e operacionalizar uma acção formativa.

 

Interessa a todas as pessoas que pretendem potenciar a sensibilidade nesta temática e dar-lhes ferramentas para lidar com os direitos que têm.

Conteúdos

1)     A actividade laboral e a vida familiar
2)     Os ‘papéis sociais desiguais em função do sexo’:
3)     A tarefa e a missão de prosseguir os objectivos do/a empregador/a ou do/a cliente
4)     Conhecimento e reflexão sobre a situação actual
5)     Estratégias para a mudança
6)     Metodologias formativas em IG e sugestões de operacionalização
7)     Práticas pedagógicas, simulação e avaliação

Exposição de conceitos de forma teórica e prática, recorrendo ao uso de dinâmicas de grupo, debates, visualização de vídeos, trabalhos de grupo, e análise de casos práticos.

Duração: 8h